Resenha: As Brumas de Avalon Vol. 1


Editora: Imago
Autor: Marion Zimmer Bradley
Número de páginas: 252
Avaliação:

(Skoob)
 Sinopse
Em As Brumas de Avalon, Marion Zimmer Bradley reconta a lenda do rei Artur, descrevendo os seus esforços para unificar a Bretanha contra a invasão Saxônica, a partir da perspectiva das poderosas mulheres do reino de Avalon e Camelot.
Mesmo aqueles que normalmente não gostam das lendas de Artur irão se encantar com as mulheres por trás do trono.
Morgana e Guinevere lutam pelo poder, usando Artur para promover as suas respectivas visões de mundo. As intrigas e a política do reino de Camelot descritas em As Brumas de Avalon se passam quando o Cristianismo começa a dominar a ilha-nação da Bretanha, estabelecendo o conflito com os cultos pagãos.
 Resenha   

Há tempos que venho planejando ler esse livro, porém como é de se esperar, sempre acabo me interessando por outros autores e deixei durante um bom tempo As Brumas de Avalon em segundo plano.
 Confesso que de início não me identifiquei com a leitura, talvez por esse não ser meu gênero preferido ou, na minha concepção, ela ser uma autora de escrita meio massante. Mas como tenho a filosofia de nunca deixar um livro sem ler, decidi finaliza-lo.
As Brumas de Avalon conta a história das mulheres por tras do rei Artur. Como elas influenciaram e ajudaram na ascenção de Artur ao trono, e até mesmo sua concepção.
Bradley mostra como as mulheres são forte e determinadas , por partes deixando de lado seus próprios desejos em prol de uma causa maior. Durante toda a narração, há um conflito entre a religião considerada pagã, que é cultuada pelo povo de Avalon, e o cristinanismo que está começando a se firmar na Bretanha.
Na antiga religião de Avalon, as mulheres são consideradas independentes e fortes, o que gera  contenda com o cristianismo, onde o homem é o centro e só eles são dotados da sabedoria para tomar decisões. Isso fica explícito quando Bradley escreve:
“ O destino da mulher era de ficar sentada em casa, no castelo ou na cabana - havia sido assim desde a chegada dos romanos. Antes disso, as tribos celta seguiam os conselhos de suas mulheres, e mais ao norte existia uma ilha de mulheres guerreiras que faziam armas e ensinavam os chefes a usá-las”
O ápice da força femina  é demonstrada por Viviane, uma sacerdotisa de Avalon, que dedica toda a sua vida a ser submissa as vontades da deusa, deixando de lado todo o seu conforto. Viviane é irmã de Igraine e Morgause, que embora tenham o sangue real de Avalon, vivem no castelo com Gorlois que é casado com Igraine. Juntos têm uma filha chamada Morgana, que é amada pela mãe mas nem tanto pelo pai que desejava ter tido um filho homem.  Igraine é uma mulher que vive em constante conflito a respeito de qual religião seguir, negando em diversos momentos ser adepta da religão considerada pagã, porém nutre  respeito pela deusa e em alguns momentos segue aos preceitos não cristãos. Já o que cabe a Morgana é ser uma sacerdotisa, assim como sua irmã Viviane.
Existem passagens no livro que te levam a refletir como a religião cristã tentou durante toda a sua existência suplantar outras crenças, tentando fixar verdades únicas em detrimento dos outros credos.
Uma cena que me inspira revolta, é quando Igraine, mãe de Artur, apanha de seu então marido por ele sentir ciúmes dela com outro rapaz, ou seja, enquanto o homem pode ter quantas mulheres cobiçasse, a esposa deve  ser fiel e submissa e completamente alheia as luxos e vontades do marido.
Foram por esses motivos que me vi compelido a ler o segundo volume dessa magnífica obra, que embora escrita em 1982 nos submete a problemas atuais.

7 comentários:

Carolina Mello disse...

O seu blog já me conquistou por essa resenha. Adoro essa série, é a minha favorita.
Diferentemente de você, o livro me conquistou desde o inicio. Talvez tenha sido porque eu já havia visto o filme e gosto muito de estórias épicas.
Entendo que a escrita de Bradley pode se tornar, às vezes, cansativa e de difícil compreensão, para algumas pessoas, por ser muito subjetiva. Mas, o enredo em si, me conquistou tanto, que isso não fez com que eu, por nenhum momento, pensasse em desistir da leitura. O primeiro livro é meu favorito, seguido pelo terceiro e o quarto. O que eu menos gostei foi o segundo, pois, por motivos que você descobrirá durante a leitura, Guinevere (a personagem mais odiada de todos os tempos por mim) se torna a personagem central.
Guinevere é tão mimada, chata, carola e acaba deixando Artur um babaca que ele esquece quem o levou ao poder para fazer todos os gostos dela e da Igreja.
Apesar do que Igraine fez a Artur e a Morgana, eu ainda gostava dela, o seu final e o de sua irmã Viviane - personagem por quem durante um tempo eu tive raiva, mas depois entendi seus motivos- foram os únicos finais que não me agradaram. Nos últimos livros, Morgause também ganha destaque e, apesar de ela ser vilã, eu a acho uma ótima personagem.
No geral a série é muito boa. Por isso não desista! HAHAHA
Se você ainda não assistiu ao filme, quando puder, assista. Ele não chega aos pés do livro, pois alguns personagens muito importantes, como Kevin, são esquecidos e alguns temas são abandonados. Mas ainda assim o filme é bonzinho. hahahaha e tem a Julianna Margulies que é uma ótima atriz (minha favorita) além de Anjelica Huston e Joan Allen. :)

Beijos, Carol.
www.perdidanaestante.blogspot.com

Paty Algayer disse...

Já tinha ouvido falar nesta série, mas pra falar a verdade, não tinha me interessado muito! Mas fiquei curiosa pra ler...
Abração!

Paty Algayer
http://www.magicaliteraria.com/

Tharcila Lima disse...

Sempre me interessei pela história do rei Arthur e a távola redonda.
Acho o contexto fascinante e gostei da autora da enfoque as deusas e não somente a Artur ou Lancelot, como vimos em diversos livros que retratam a historia
Ainda nao li o livro, mas quem sabe mais pra frente
Adorei sua resenha. Sucinta, informativa mas com personalidade. Parabéns
Beijo

Tharcila Lima
Me, myself and more!

Juliana Pires disse...

Olha só, historia, idade media, cristianismo, feminismo, são assuntos dos quais eu gosto muito.
Eu tenho muita vontade de ler esse livro, já o tenho faz tempo mas sempre tem outra coisa para ler. Eu adoro historia, por isso a poca em que o livro se passa é um delite para mim, preciso arranjar um tempo para ler os livros. Beijos

Gabriela Borborema disse...

Estou lendo a série, extremamente ótima! Parabéns pelo blog.

Violet demise disse...

para falar a verdade eu não me interessei muito não, mas um amigo meu falou que era muito bom e estou pensando em ler, apesar de que cristianismo e idade media não me interessem muito... vou tentar ler mesmo assim...

Camille disse...

Adorei esses livros na época em que li. Lia um por dia, de tanta curiosidade e paixão pela coisa toda. Agora comprei novamente o primeiro volume, para minha filha de 12 anos que estuda essa época na escola.
Muito boa sua resenha.
Um abraço,
Cam

Postar um comentário