Resenha: O Recurso


Editora: Rocco
Autor:
John Grisham
Número de páginas: 384

Avaliação:

(Skoob)

 Sinopse


  Com mais de 250 milhões de exemplares vendidos, traduzidos em 29 idiomas, John Grisham volta, em O recurso, ao universo da justiça que o consagrou – o livro, que, a exemplo de outros seus, alcançou o 1º lugar na cobiçada lista do The New York Times, é o seu primeiro thriller jurídico desde O corretor, de 2005. Num tribunal do Mississippi, o júri volta atrás do veredicto contra uma companhia acusada de despejar resíduos tóxicos no reservatório de água de uma cidadezinha, causando o maior boom de câncer da história – a empresa apelara à Suprema Corte, composta por nove juízes. A questão é: quem eram eles? Como votaram? Algum deles poderia ser substituído com o intuito de alterar a decisão final? A política sempre foi um jogo sujo. Grisham mostra, agora, que a justiça também é.
Em O recurso, o leitor já começa a trama dentro de um tribunal de Hattiesburg, Mississippi, à espera do retorno do júri após o término de um longo julgamento. Quando o júri volta com um surpreendente veredicto de 41 milhões de dólares contra Krane Chemical Corporation, uma grande empresa química, considerada culpada por jogar substâncias tóxicas na água de Bowmore, uma pequena cidade em Cary County, é que Grisham começa a mostrar ao leitor o quanto os ricos podem ser ainda mais gananciosos.
Wes e Mary Grace Payton são um casal de advogados que apostam tudo no mais comentado julgamento do Mississippi para ajudar uma jovem, que perdeu marido e filho, vítimas de câncer, causado pela água contaminada. Do outro lado, encontra-se Carl Trudeau, o bilionário CEO da Krane, inconformado por perder o julgamento e milhões de dólares. John Grisham retrata a luta desesperada dos Payton para manter o veredicto enquanto enfrentam a máquina milionária de Trudeau e seus golpes baixos.
À medida que recursos e petições são indeferidos ou aceitos, o leitor vai conhecendo um pouco mais da história de Jeannette Baker, a viúva, e sua cidade em vias de se tornar um local fantasma pela contaminação. Junto com o pastor de Bowmore, Wes e Mary Grace tentam manter as esperança de outros queixosos, enquanto encaram a concorrência de outros advogados que só querem uma parte do dinheiro do veredicto. As chances de Bowmore e seus sofridos cidadãos está na Suprema Corte do Mississippi, onde nove juízes decidirão por manter ou reformar a sentença.
Entretanto, o bilionário Trudeau, para ter certeza da vitória, orquestra a compra de um juiz da Suprema Corte, capaz de anular o julgamento. A partir de então o autor mostra quão fácil é manipular uma eleição quando existe dinheiro de sobra. Com todo o seu talento, Grisham leva o leitor a um passeio pela corrupta política judiciária, com senadores comprados, juízes manipulados e manipuladores e políticos “marqueteiros” capazes de tudo para eleger seus candidatos.
À medida que a história se desenvolve, os Payton se vêem cada vez mais pressionados e a perspectiva de ganhar nada e ainda perder o pouco que lhes resta é cada vez mais real. As eleições seguem o caminho traçado pelos mais poderosos, até que uma virada do destino leva todos os envolvidos a questionarem seus valores.
O desfecho de O recurso é uma surpresa, perfeito para um livro cheio de viradas. E para os fãs de John Grisham é ótimo ver que o escritor continua dominando os tribunais como poucos.

 Resenha   
  Nunca tive curiosidade para ler os livros de John Grisham, hoje percebo que perdi muito tempo! Um escritor que consegue te conquistar logo nas primeiras páginas, fazendo com que seja  impossível largar o livro e quando se larga, continua-se pensando em como a historia irá se desenrolar. John demonstra sua maestria na forma como consegue mesclar críticas e diversão em um mesmo âmbito. A elite americana é descrevida em sua inteira verossimilidade, como sendo abusiva, corrupta e fútil. Wes Payton e sua esposa Mary Grace Payton são advogados em um processo contra uma grande corporação acusada de poluir a água de um pequeno vilarejo, trazendo doenças e sofrimento. A ação é movida por uma viúva (Jeannete) que perdeu seu marido e seu filho, mortes oriundas da poluição. Poluentes que foram despejados nos rios com o consenso do prefeito e da Agência de Proteção Ambiental, ambos subornados pela corporação. Daí dá para perceber o nível das críticas apresentadas, onde nem mesmo políticos escapam das garras literárias de Grisham. A Krane Chemical, empresa responsável pela poluição, recorre da decisão judicial. Carl Trudeau, dono da empresa, busca ajuda de um corrupto senador, que de forma “legal” coloca na Suprema Corte juízes que sejam simpáticos com grandes corporações. Para obter uma cadeira na Suprema Corte é preciso ter uma campanha política onde juízes são escolhidos pela população, acarretando em campanhas dispendiosas. Carl procura os serviços do Senador, e paga milhões para que um juiz agradável ao seu processo seja posto na Suprema Corte e reverta o veredicto. O livro é recheado de críticas ao sistema judicial do Mississipi, que na maioria das vezes, aqueles que detêm grande poder aquisitivo, têm o poder de manipulação. Ron Fisk (o escolhido para ser juiz) é um homem honesto, porém, aos poucos se deixa ser corrompido pelo sistema. O final foi inesperado e, embora não tenha gostado, relata a realidade. Para quem gosta de drama jurídico, esse livro é uma boa escolha!
 

7 comentários:

Jessica Souza disse...

Sempre ouvi falar dos livros dele, mas nunca me interessei a ponto de ler a sinopse. Adorei! Sua resenha ficou ótima e me fez ficar com vontade de ler o livro. Até porque é um tipo de livro totalmente diferente do que estou acostumada!
Beijokas
Jeh
www.starbucksandbooks.org

Ingrid Lilianne disse...

Nunca li esse gênero haha, mas sua resenha é inspiradora! :)

Anderson Sampaio disse...

Brigadinho!! *-*

Anderson Sampaio disse...

Eu também estava do mesmo jeito, embora goste um pouco de temas jurídicos !
bjosss

Viviane disse...

Olá Anderson, parabéns pela resenha, vc foi bem conciso, até pq esse gênero é bem complicado de explicar numa resenha.Preciso ler John Grisham, ainda não tive oportunidade, mas já li só coisas positivas de escritor.
Parabéns novamente.

Beijos
Vivi

http://vivianeblood.blogspot.com/2012/02/resenhas-principe-sombrio.html#more

Priscilla Faustino disse...

Parabéns pela resenha! Nunca li nada desse autor, o gênero não é dos meus favoritos (prefiro romances), mas sua resenha me deixou curiosa em relação à história.

Bjinho,
pirigueteliteraria.blogspot.com

Byan Souza disse...

já li a imtimação e o recurso de JONH GRISHAN, são obras que esclarece a corrupção no poder judiciário americano, haja visto que nesse país os juízes são eleitos como se fossem parlamentares aqui no Brasil, imagina a balbúrdia, um poder judiciário dependente de partidos políticos, obvio que as decisões serão manipuladas. indico a leitura das obras mencionadas por mim, inclusive se for operador do direito é essencial a leitura.

ÓTMA LEITURA A TODOS.

Postar um comentário